Onde mora Deus?



O Deus que habita em mim saúda o Deus que habita em você.


Esse é o significado espiritual do termo “Namastê”, que já ouvi muitas vezes sem me dar conta de seu entendimento profundo. Sou cristão e não conheço as religiões orientais, embora as respeite. Um respeito que tenho às pessoas e às suas crenças como princípio de vida, mas também o respeito à centelha divina que existe em cada um de nós, criados que fomos à imagem e semelhança de Deus.


Acredito em um Deus vivo e presente em nossas vidas. Um mesmo Deus dentro de mim e de você, ao mesmo tempo único e indivisível ainda que individual e pessoal. Um Deus que me conhece profundamente, sabe tudo sobre mim, meus defeitos e qualidades, que me orienta, fortalece, se compadece e sofre comigo nas horas difíceis, mas que me reergue a cada nova queda. Assim como com você.


Esse Deus em mim não apenas se conecta ao Deus em você, pois permanece sendo o mesmo Deus. Tão presente quanto ativo em nossas vidas. Tão individual em nossa existência pessoal como coletivo para a humanidade, crentes e descrentes, bons e maus, reconhecidos ou indiferentes.


No passado cheguei a acreditar em um Deus poderoso e magnânimo, sentado em um trono no céu. Tão poderoso que administrava a vida de cada um de nós e de todos ao mesmo tempo. Um Deus capaz de interferir quando queria, a partir de nossos históricos pessoais de bondades e maldades, dividindo o mundo entre os merecedores da ação divina e os demais.


Eu pensava Deus como um chefe burocrático, que recebia os relatórios da nossa vida e tomava suas decisões. Já não penso assim, pois vivo a experiência com Deus de outra forma. Sinto a Sua presença continuamente, embora Suas manifestações na minha vida sejam extremamente sutis, mas nunca menos milagrosas.


As Escrituras muitas vezes nos mostram um Deus de milagres espetaculares. Destruição de cidades, um dilúvio, anjos destruindo exércitos inimigos, um mar que se abre. Ou então curas milagrosas e repentinas, o aleijado que anda, o cego que passa a enxergar, o morto que revive. Essa ideia de que Deus age apenas de forma fantástica nos faz ignorar os milagres diários ou nos leva a não reconhecer a ação de Deus ao longo de nossos dias.


Deus não está no trono. Ele está em tudo. Se eu e você temos Deus dentro de nós, eu com você teremos mais de Deus em nós. Deus está em cada homem, mulher e criança. A humanidade tem Deus e Deus tem a humanidade. Estamos em Deus e Deus está em nós.


Não acredito em nada que divide. Cor da pele, fronteiras geográficas, nível social, religião, gênero. Cada coisa que nos separa é superficial e tosca. É como a camisa do time que visto hoje, diferente do meu vizinho que torce para outro clube. Após o jogo ambos tiramos as camisas que vão para a maquina de lavar. Tiramos uma camada mas continuamos sendo seres humanos, com Deus dentro de nós. A superficialidade da camisa de futebol não altera a nossa essência humana e divina.


Sei que muitos não pensam como eu, mesmo entre os que professam a mesma fé cristã. Eu acredito no Caminho mas me nego a aceitar que pessoas de outras crenças não poderão um dia ter acesso à mesma rota. São muitos os mistérios de Deus, mas o amor é a sua essência. Deus não nos revela seus planos, embora nos vislumbre com promessas futuras. Se seus planos são misteriosos e o amor é seu fundamento, tenho a permissão de acreditar em um Deus que oferecerá seu amor, perdão e compreensão a todos os que viverem de acordo com a centelha de Deus que existe dentro de si. Mesmo que seja no momento final.


O Deus que acredito não administra meu dia a dia. Não responde pelos meus atos. Ele me induz ao que é certo, influencia meus atos com a sua presença em meu coração, orienta meus caminhos com o exemplo de seu amor. Mas quem dá os passos sou eu. Se ando certo vou bem, se erro o caminho tenho condição de retornar, se tropeço e caio Ele me ajuda a levantar. Mas quem age sou eu.


As vezes passo dias sem pensar muito em Deus. As orações se acontecem são curtas e superficiais. Um distanciamento que eu mesmo provoco, absorto nas coisas da vida cotidiana. Mas Ele não se afasta, está sempre lá, ao alcance de uma oração sincera.


Em outras situações a minha conexão espiritual é intensa e profunda. As orações passam a ser conversas intensas e emocionantes. Na grande maioria das vezes apenas eu falo e Ele ouve. E acontecem vezes em que nem falar consigo, mas Ele entende meu coração dolorido e alma fragmentada.


E Ele sempre está lá. Às vezes me inspira a paz que supera todo o entendimento. Noutras vezes acalma minhas dores desesperadas e em outras inspira palavras ou lembranças em minha mente, que me fazem sentir a força de Sua presença.


Jesus disse que quando dois ou mais estivessem reunidos em seu nome Ele lá estaria. É nas relações pessoais que a presença de Deus se faz mais forte e ativa. A essência do que é “ser igreja” e da manifestação do respeito e afeição. E é por onde os milagres cotidianos acontecem.


Ter Deus dentro de nós significa que nunca estamos sozinhos, por pior que seja a situação. Se eu estou com você já somos três pois Ele está conosco e é assim que entendo essas palavras de Jesus.


Ao longo da vida, e principalmente durante os últimos anos, tive inúmeras experiências com anjos enviados por Deus na forma de pessoas que agiram comigo de acordo com o Deus dentro de si. Pessoas que fizeram coisas inacreditáveis e inesperadas por mim. As vezes coisas simples, como algumas poucas palavras esclarecedoras de sentidos profundos numa rápida conversa. Noutras vezes atitudes intensas, complexas e amplas de cuidado e atenção prolongados. Em todas essas ações sagradas as pessoas foram usadas pelo Pai, mesmo que não acreditem nisso.


Não deixo de agradecer à essas pessoas nem de reconhecer a sua autoria plena em todas essas ajudas que recebi, afinal foram elas que se dispuseram e ajudaram. Mas eu acredito na inspiração de Deus dentro delas para isso.


Ter Deus dentro de nós não tira a nossa autoria das boas ações nem a nossa responsabilidade pelos erros que cometemos. Não é Ele que decide por nós e nem acredito que exista um plano totalmente delineado pelo nosso destino. Certas ou erradas, são nossas as escolhas que fazemos.


Somos livres, pensantes, donos de nossos narizes e é só com essa liberdade plena que podemos reconhecer a Deus, honrá-lo e amá-lo.


No fundo, é só isso que importa. Vivermos o amor de Deus por nós em nossas vidas, uns pelos outros e todos por Ele, como Ele é por nós.


William Andreotti Jr.

Escritor, consultor, mentor e produtor de conteúdos sobre Administração, Negócios, Recursos Humanos e Carreiras. Defensor de uma visão humanizada para o mundo dos negócios e carreiras profissionais baseadas em princípios e valores. Às vezes falo sobre a vida e se você se pergunta o que isso tem a ver com trabalho, por favor releia.

47 visualizações2 comentários

©2020 by William Andreotti Jr. Proudly created with Wix.com